09/08/2017 às 16:07:00

Casa do Trabalhador dá suporte a quem está à procura de emprego, em Nova Andradina

Isabelle Tanji
Foto: João Cláudio
Grupo de trabalhadores junto com a coordenadora Aparecida Valdez
Foto: João Cláudio
"Foi com a ajuda deles que consegui meu último emprego e sei que assim conseguirei novamente", Josilene Machado
Foto: João Cláudio
Paulo Xavier afirmou que horário do estudo o impede de conseguir um emprego
Foto: João Cláudio
Técnica em Recursos Humanos, Elizângela ficou dedicando-se à filha e agora procura emprego na área do RH
Foto: João Cláudio
"As pessoas não podem deixar nas mãos do pessoal da Casa do Trabalhador e ficar em casa, esperando", disse Milena Leite
Foto: João Cláudio
"Paciência e boa vontade, é o que todo trabalhador em busca de emprego precisa", João Paulo

Nas últimas semanas, a Casa do Trabalhador, antigo CIAT, vem postando algumas oportunidades de emprego através do site oficial da Prefeitura Municipal de Nova Andradina e também pelas redes sociais, entretanto, alguns leitores reclamaram, pois quando procuram por vagas, as mesmas já não estão mais disponíveis.

Em entrevista com a Coordenadoria Geral de Comunicação, a coordenadora da Casa do Trabalhador, Maria Aparecida Valdez, explicou que as vagas são publicadas e rapidamente preenchidas, pois todos os dias há centenas de pessoas procurando por emprego no local. 

“Há pessoas que toda a semana vem aqui para conversar conosco a procura de vagas, então automaticamente, já vamos encaixando essas nas opções que nos aparecem”, disse Cida.

Além dela, participaram da entrevista cinco pessoas que também estão à procura de uma oportunidade de trabalho. Uma delas é Josilene Machado, que ficou desempregada por sete meses, e afirmou que não tem o costume de distribuir currículos pelo comércio. “Eu venho direto na Casa do Trabalhador, trago meu currículo aqui e quando aparece uma vaga eles me procuram e já vou direto para a entrevista, foi assim que consegui o meu último serviço e sei que conseguirei novamente com a ajuda deles”.

O universitário Paulo Xavier, que estuda na cidade de Fátima do Sul, já foi chamado para duas entrevistas, mas o que o impede de começar a trabalhar é o horário. 

“Eu já trabalhei na Adecoagro, já fui chamado para entrevista no JBS e na Usina Santa Helena, mas o que me impede de trabalhar é ter que ir para a faculdade às 17h. Mas continuo procurando com o pessoal daqui da Casa do Trabalhador e toda entrevista que consegui, foi através deles. Não tenho o que reclamar do serviço oferecido pela agência”, afirmou o estudante.
Afastada desde que tornou-se mãe, em 2010 Elizângela Paulo de Alberto conseguiu um emprego através da Casa do Trabalhador e permaneceu até o último ano. Agora, após se dedicar à filha, ela retornou à agência a procura de uma oportunidade. “Vim na semana passada, ainda não apareceu uma vaga pois é bem específica pois sou Técnica em Recursos Humanos, mas ainda não estou desesperada, estamos a procura e sei que o pessoal daqui é muito eficaz e confio muito no trabalho deles”, disse ela.

A jovem Milena Pereira Leite, que também está à procura de emprego, já foi indicada pela Casa do Trabalhador por duas vezes e lembrou algo de suma importância para quem está, assim como ela e os outros entrevistados, procurando uma vaga de trabalho. 

“As pessoas não podem deixar nas mãos do pessoal da Casa do Trabalhador e ficar em casa, esperando. Eu venho aqui toda semana, já tem um mês que eu venho aqui sempre, eles me ligam avisando sobre as vagas que aparecem, então é bem tranquilo, mas tem que haver interesse da parte mais importante, de quem está procurando por emprego”, declarou. 

O que não é diferente para José Paulo de Souza, que afirmou “é importante você estar vindo conversar com o pessoal, buscar essas vagas, colocar-se à disposição dessas vagas. As pessoas criticam porque talvez não deu certo uma vaga, então já acha que nenhuma dará, mas tem que ter paciência, as vezes você não se encaixa em uma empresa, mas pode se encaixar em outra, não pode largar mão logo no primeiro não que você encontrar no caminho”.

José está desempregado, mas continua procurando emprego em parceria com a Casa do Trabalhador e toda a equipe que ali trabalha. “Paciência e boa vontade, é o que todo trabalhador em busca de emprego precisa”, disse ele.
A coordenadora Aparecida explicou que os trabalhadores são encaminhados para as vagas que aparecem com a autorização deles. Eles ligam, falam da vaga aberta e se o trabalhador autorizar, é encaminhado para a empresa para a entrevista ser feita. 

Ainda de acordo com ela, por dia, são atendidas aproximadamente 200 pessoas em busca de emprego, principalmente de segundas e terças-feiras. No mês de agosto serão disponibilizadas 50 senhas no período matutino e no período vespertino, pois é um mês em que servidores encontram-se de férias.

O que preciso levar?
Para ir à Casa do Trabalhador fazer o seu cadastro, é necessário levar sua Carteira de Trabalho, RG e CPF.

Parceria com o CEMID
Para facilitar ainda mais o atendimento, o Centro Municipal de Inclusão Digital (CEMID) está em parceria com a Casa do Trabalhador. Lá, o trabalhador montará seu currículo, que será encaminhado à agencia e impresso pelas atendentes da mesma. “Nós facilitamos essa parte para eles para que também saiam a procura de emprego pelo comércio da cidade”, disse a coordenadora Aparecida.

“Nós aceitamos críticas, mas desde que sejam construtivas, para melhorar quanto ao nosso atendimento. Esse mês somos o quarto “Casa do Trabalhador” em atendimento, ultrapassamos muitas cidades, algumas até maiores, mas é porque o nosso trabalho é feito com credibilidade”, finalizou Aparecida Valdez, que trabalha há 20 anos na Casa do Trabalhador, antigo CIAT, de Nova Andradina.

A Casa do Trabalhador fica localizada na Rua Walter Hubacher, 1368 - Centro, Nova Andradina - MS. Telefone: (67) 3441-3762


Tags: Casa do Trabalhador, Nova andradina, ,
COGECOM

Rede Sociais