Acessibilidade
Contraste
Aumentar Fonte
Diminuir Fonte
Limpar Configurações

Servidores irão coordenar os trabalhos de avaliação técnica dessas áreas visando o aproveitamento dos recursos naturais e potencialidades econômicas para alavancar o turismo em Nova Andradina.

Cb image default
William Gomes

Com o desafio de alavancar o segmento turístico, gerar empregos e atrair novos negócios, o governo municipal segue com a proposta de demarcação da zona de interesse turístico de Nova Andradina.

Em mais uma reunião de trabalhos, secretários e servidores das áreas de infraestrutura, urbanismo e meio ambiente que integram a SUPUR (Superintendência de Urbanização) começaram a avaliar as 23 zonas especiais de interesse turístico (zeits) aprovadas pelo Conselho Municipal de Turismo (COMTUR) com potencial para atração de investimentos públicos e privados no setor.

O engenheiro ambiental Rodrigo Costa Lima elencou as etapas de execução do plano até o encaminhamento de um projeto de lei, que deverá ser aprovado pela Câmara de Vereadores, ressaltando a necessidade de desenvolver as ações sob a égide da sustentabilidade ambiental, social e cultural.

A SUPUR irá avaliar as áreas e realizar estudos técnico-científicos específicos para verificar a aptidão turística de cada uma das áreas a serem demarcadas, visando ao adequado aproveitamento dos recursos naturais, de acordo com sua natureza geográfica, vocação, potencialidades e valorização do patrimônio cultural e natural, bem como questões referentes ao uso e ocupação de solo, aspectos ambientais e estudos de viabilidade econômica.

Este grupo de especialistas será responsável por coordenar os trabalhos de avaliação técnica desses locais, além de pesquisar, planejar e implementar um conjunto de políticas públicas e ações como esforço para concretizar o potencial turístico do município.

São diversas etapas e estudos a serem cumpridos nos próximos 6 meses. O COMTUR, poder legislativo e a comunidade serão parceiros do governo municipal neste trabalho e, ao longo do processo, poderá opinar na apresentação de novas inserções ou a exclusão de áreas a serem exploradas pelo turismo, tanto na área urbana quanto rural.